Publicação em destaque

tarte de arroz doce com chocolate e cacau

Saiu na ultima revista Bimby - Momentos de Partilha (47 - 2ª série, Outubro 2014), uma receita que tem feito muito sucesso: pastéis de arro...

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Setembro 2013 | Pelo S. Mateus não peças chuva a Deus.


Setembro foi assim:





 bolachas caseiras 
♠ iogurtes líquidos de limão e canela
♠ red velvet bundt cake
♠ iogurtes caseiros
♠ bolo de maçã e canela na caneca
♠ banoffee blondies 
♠ charlotte de queijo fresco com frutos vermelhos



Das estatísticas:
→ 195 posts publicados
→ 186 seguidores no blog! ♥
→ 43790 pageviews no blog
→ 1221 seguidores na página


♠ Convidem amigos para a página e, principalmente, para o blog! ♠

♠ Experimentem a nova ferramenta para convidar amigos na página de Facebook.

♠ Adiram ao blog e convidem os vossos amigos do Google+.

Já conhecem o grupo de Facebook: Receitas com Robots de Cozinha?



P.S.: Em breve, haverá passatempo no blog!

parceria | Suldouro - Navires

É com grande satisfação que anuncio a parceria entre este blog e a Suldouro - Navires.

A distância geográfica (de 313 Km que implicariam quase 3h de viagem) não me permitiu aceder ao gentil convite do sr. José António Mendes para conhecer as instalações e observar os processos de fabrico. Espero, futuramente, quando for ao Norte, poder vir a conhecer.

Os produtos da Suldouro alcançaram o prémio de Sabor do Ano em 2013 pela terceira vez consecutiva, sendo uma marca reconhecida pelos consumidores.
Os produtos encontram-se por todo o país no comércio local e são as marcas brancas Guia da cadeia de supermercados E.Leclerc e, também no comércio grossista, pelas marcas Fine Food e Horeca Select na Makro.


A Navires nasce em 1971, mais precisamente no dia 8 de Setembro, quando Adão Gonçalves, José Brito Mendes e Agostinho Silveira após mais de 25 anos a trabalhar em empresas do ramo, decidem que está na hora de tentarem também eles a sua sorte. Alugam um Rés do Chão, com cave, na Rua José Mariani, 480, em V. N. de Gaia, com pouco mais de 300 m2 e assim começam a trabalhar.
O principal sempre foi as especiarias mas no arranque outros produtos como café, cevada e pastilhas elásticas também ajudaram a fazer volume de trabalho e facturação. Tudo era feito á mão pelo que chegaram, após poucos meses a ter quase 20 pessoas a empacotar as especiarias Suldouro. O espaço era reconhecidamente muito limitado para o crescimento obtido e o armazenamento muito problemático, não permitindo comprar matéria prima nas quantidades desejadas. O próprio manuseio era difícil pois as caixas de 120Kg de especiarias tinham de ser descarregadas às costas para a cave.
Nos anos 80 as soluções de espaço foram sendo inventadas e a imagem da marca Suldouro sofria as primeiras alterações, tentando acompanhar as cada vez maiores solicitações do mercado em que já despontavam as grandes superfícies.
Em 1995, finalmente novas instalações, com condições que permitiram automatizar o ciclo de empacotamento, armazenar matéria prima nas quantidades entendidas como convenientes, desenvolver novos produtos, modificar embalagens não só a nível de design como de funcionalidade, adquirir novos equipamentos enfim equipar uma empresa para o início do novo século que se aproximava.
Esta história não está completa e todos os dias se escrevem novas páginas através do esforço e dedicação de todos os que dia a dia colaboram para fazer da Navires uma empresa reconhecida pela qualidade dos seus produtos e pela atenção que dispensa aos seus clientes, sem os quais nada disto teria acontecido.
A todos, clientes e colaboradores, o nosso reconhecimento.


site: http://www.suldouro.com
Facebook: https://www.facebook.com/pages/Suldouro-Navires/282742885189087


O meu agradecimento à Navires pela gentileza e pelos produtos enviados.
Estou desejosa de incorporar os produtos em receitas para divulgar a qualidade dos mesmos.







parceria | Lactínios das Marinhas

É com grande satisfação que anuncio a parceria entre este blog e Lacticínios das Marinhas.




É uma empresa que comercializa queijos e manteiga de fabrico artesanal e sediada na freguesia das Marinhas, concelho de Esposende.

A fábrica de lacticínios situada na Avenida 19 de Agosto, 4399 (antiga EN 13), na freguesia das Marinhas, concelho de Esposende, distrito de Braga, resultou em 1939, da concentração de pequenos fabricantes de manteiga da região, levada a efeito pela então recentemente criada Junta Nacional dos Produtos Pecuários, que atribuiu quotas a cada um, integrando-os como sócios da empresa “Lacticínios de Esposende, Lda”.



É uma empresa que privilegia a segurança alimentar, assim como a controle de qualidade.


Para nós, Segurança alimentar é garantirmos, através de um sistema implementado, testado, verificado e certificado, o controlo dos n/produtos, desde a matéria-prima à mesa do consumidor, neste caso, do "prado" ao "prato".
O coordenador da Equipa de Segurança Alimentar, nomeado pela Gerência (Director de Qualidade) tem a responsabilidade e autoridade para:- assegurar que o Sistema de Segurança Alimentar é estabelecido e implementado correctamente;- informar a Gerência quanto ao desenvolvimento do sistema;- organizar o trabalho da equipa de Segurança Alimentar.

Podem encontrar-se os seguintes produtos nos Lactínios das Marinhas:
- Queijos Marinhas;
- Queijo Marinhas Mini;
- Queijo Amanteigado;
- Queijo Cávado;
- Queijo Ofir;
- Queijo fundido cremoso para barrar (em bisnaga);
- Manteiga pasteurizada.



site: http://www.lmarinhas.pt/
Facebook: https://www.facebook.com/pages/Lactic%C3%ADnios-das-Marinhas-Lda/498218370201590


O meu agradecimento à Lactínios das Marinhas pela disponibilidade e pelos produtos enviados.
Estou desejosa de incorporar os produtos em receitas para divulgar a qualidade dos mesmos.







snacks

Eu nem vejo muita televisão mas, por vezes, sabe bem ter um snack por perto para ir petiscando. Há uns tempos, andava viciada em pipocas de micro-ondas... até ter enjoado. (Recentemente descobri que não fazem nada bem, bem pelo contrário.)
As minhas sugestão de snacks são os Fruut e as batatas fritas e pipocas d' A Saloinha.







Pouca televisão vejo. Cá em casa, a televisão está sempre desligada durante as refeições. Nos telejornais só se vêem desgraças e poucas são as notícias. Futebol nem pensar! Touradas, nunca! E não me enquadro no público-alvo dos reality shows, programas da manhã e da tarde, telenovelas, concursos. Restam as séries, filmes, programas de culinária e documentários. Nesta altura do ano, é a reentre da maioria das séries que acompanho e, com a chegada do Outono, é aconchegante encostar no sofá a ver televisão.


domingo, 29 de setembro de 2013

queijo fresco caseiro com coentros

Recordo-me de, em miúda, visitar a minha avó que tinha sempre queijo fresco caseiro para me oferecer para o lanche. Lembro-me que, nessa altura, só havia leite fresco em pacotes e não em embalagens tetrapak. Sempre quis experimentar fazer em casa e encontrei esta receita no Mundo de Receitas Bimby.
O coalho líquido (e em pó) encontra-se à venda nas farmácias.
Se preferir pode optar por não usar coentros ou incorporá-los após o coalho para que o queijo fresco não fique tão verde. 




Ingredientes:

20 g de coentros frescos (opcional)
1000 g leite fresco (usei gordo)
100 g leite em pó
25 gotas de coalho líquido
sal q.b.



Preparação Thermomix®:
Colocar no copo da Bimby os coentros e pulverizar 15 seg/ vel 9.
Adicionar o leite, o leite em pó, o sal e programe 5 min/ 37º /vel 4.
Juntar o coalho e envolva 30 seg/ vel 4. 
Retirar para uma tigela e deixe repousar cerca de 35 minutos, para ganhar consistência.
Com a ajuda da espátula retire da tigela e coloque no cesto da Bimby, sob um prato fundo para que o soro escorra.
Deixar repousar durante 2 dias no frigorífico coberto com uma película aderente.
Após este tempo, desenformar e servir.





tempo de preparação: 2 dias
dificuldade: *
vegetariano: sim
para crianças: sim
ingrediente principal: leite


Siga-me aqui:

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

batatas fritas no forno

Há inúmeras receitas de batatas fritas no forno, ou melhor, batatas cortadas em palitos que vão ao forno e ficam bem mais suculentas e saudáveis do que batatas fritas. Podem, até, ser cortadas com casca e levadas ao forno em gomos. Ficam deliciosas e bem mais saborosas que as vulgares batatas fritas. 


Batatas

Planta mais banal e bem disposta todavia
ninguém neste sombrio país encontraria.
A batata é tão holandesa: dança meio louca
para dentro do cesto e depois para a boca.
Ao castanho de velhas e usadíssimas cuecas
e de mesmo muito gastas noivas ela junta
uma redondez suína, estilo Grão-Mogol.
e de moeda rolante a facial expressão.
Nos campos do Senhor saracoteia um baile
e tem seu banco de aforro debaixo do chão.


H. H. ter Balkt
in Uma Migalha no Universo - Antologia de Poesia Neerlandesa do Século Vinte,
Assírio & Alvim, Maio de 1997, Lisboa.








Ingredientes:
batatas  
azeite
ervas aromáticas secas (óregãos, manjericão e/ou ervas de Provence)
sal grosso
alecrim fresco para decorar
compota de cebola Compotas & Chutneys





Preparação:

Lavar bem as batatas e cortá-las em palitos. Passar por água e deixar, cerca de 10 minutos, num recipiente com água. 
Entretanto, forrar um tabuleiro com papel vegetal.
Secar bem as batatas com o auxílio de um pano de cozinha e colocá-las num saco de conservação de alimentos.
No saco, adicionar um fio de azeite, ervas aromáticas e espalhar bem para envolver todas as batatas.
Dispor as batatas separadas por cima do papel vegetal, polvilhar com sal grosso e levar ao forno até estarem tostadas. 
Servir acompanhadas por compota de cebola Compotas & Chutneys.





tempo de preparação: 1h30
dificuldade: *
vegetariano: sim
para crianças: sim
ingrediente principal: batatas


Siga-me aqui:

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Casa do Vinho LIDL | Feira de Vinhos, Queijos e Enchidos



O LIDL tem desde o dia 12 de Setembro, e até ao dia 2 de Outubro, uma feira de vinhos, queijos e enchidos. A selecção de vinhos é soberba e os preços extremamente convidativos. Para acompanhar um bom vinho, não poderá faltar uma boa tábua que enchidos e queijos. E também aí a selecção de enchidos e queijos surpreende.
Podem ver o folheto completo da Casa do Vinho aqui.

Ainda no site do LIDL pode-se ler a História do Vinho, assim como uma contextualização sobre os vinhos portugueses.

A saber:

Há diversas formas de agrupar os Vinhos de Portugal. Uma delas é a de se usarem três grandes categorias, a saber:
  • Os vinhos com influência Atlântica (do Minho ao Sado) mais frutados e ácidos, ótimos para acompanharem peixe e mariscos;
  • Os vinhos do Sul (Alentejo e Algarve) mais aveludados e doces, excelentes aliados das refeições em geral, como grelhados de carne e de peixe, massas e saladas;
  • Os vinhos da Montanha (Douro, Dão, Bairrada e Trás-os-Montes) mais complexos e harmoniosos, em perfeita sintonia com pratos mais elaborados como assados e bacalhau.
De Norte a Sul, da montanha ao oceano e às ilhas, o mundo do vinho nacional revela-se imenso. Distinguem-se 14 regiões vitivinícolas: Vinho Verde, Trás-os-Montes, Douro e Porto, Távora-Varosa, Dão, Bairrada, Beira Interior, Lisboa, Tejo, Península de Setúbal, Alentejo, Algarve, Açores e Madeira. O prazer, assim como a vinha, cultiva-se. Cada região brinda-nos com a sua surpreendente tipicidade que torna os seus vinhos magníficos e singulares, extraindo todo o potencial de cada bago. Virtudes que cada vez mais os apreciadores aplaudem.

A vinha domina a paisagem lusitana, apresentando-se como uma autêntica “mina” de castas autóctones, repositório de um passado recente da Europa. De entre uma imensa variedade que nos surge a cada passo nas várias regiões, destacamos:
  • Castas brancas: Alvarinho, Arinto, Bical, Encruzado, Fernão Pires, Loureiro, Moscatel;
  • Castas tintas: Touriga Nacional, Castelão, Aragonês, Baga, Jaen, Moreto, Touriga Franca, Trincadeira.


Tive o privilégio de receber em casa um cabaz para degustação com um dos meus tintos de eleição (Cabriz Reserva, do Dão), um branco da minha região preferida de brancos (Palmela D.O.C.), um queijo de cabra e um paio de porco preto:





Assim que os provar condignamente, opinarei sobre os mesmos. 




O meu agradecimento ao LIDL pela interesse demonstrado e pelos produtos enviados.

#BundtaMonth: red velvet bundt cake

O tema deste mês do Bundt-a-Month é, tão simplesmente, a fancy bundt. Imediatamente me veio à ideia o red velvet bundt mas queria fazer a versão veludo azul mas o primeiro bundt que fiz já era azul. Ainda cheguei a fazer o blue velvet bundt mas correu TÃO mal... Eu e formas de silicone, não vale mesmo a pena! Já estiveram mais longe de ir todas janela fora (mas depois tive receio de magoar alguém)!
Recentemente, a Mena fez uns mini red velvet bundts amorosos e lançou recentemente uma BundtMania, à qual eu tinha que aderir. 
A receita que segui foi a receita do red velvet no Velocidad Cuchara com um modo de preparação adaptado à Bimby.




Este mês, por ser o mês de aniversário são vários, muitos, os blogs anfitriões em vez de serem só dois:
Red Velvet Chocolate Chip Bundt by Anita from Hungry Couple
- Streuself Apple Bundt Cake by Laura from The Spiced Life
Triple Chocolate Mini Bundts by Stacy from Food Lust People Love
Simple Orange Bundt Cake by Kathya from Basic N Delicious
Banana-Caramel Bundt Cake by Felice at All That's Left Are The Crumbs
Cinnamon Chocolate Bundt Cake by Alice from Hip Foodie Mom
Lemon Frangipane Bundt Cake by Paula from Vintage Kitchen Notes
Hong Kong Chiffon Mini Cakes by Kim at Ninja Baking
Rose Mini Bundt Cakes by Veronica at My Catholic Kitchen
Devil's Food Bundt Cake with Caramel Glaze by Lora at Cake Duchess
Caramel Latte Bundt Cake by Heather at Hezzi-D's Books and Cooks
Little Bundt Pound Cakes by Renee at Magnolia Days
Chocolate and Wine Bundt from Holly at A Baker’s House
Funfetti Pudding Cake by Kate at Food Babbles
White Chocolate Pound Cake by Sandra at The Sweet Sensations

(Confesso que me baralho todos os meses para seguir as regras deste desafio.)



Ingredientes:
1 pitada de sal
1 c. chá de bicarbonato de sódio
40 g de cacau em pó
350 g de farinha
250 g de açúcar

240 g óleo (de girassol)

240 g de buttermilk
2 ovos grandes
2 c. sopa de corante vermelho
1 c. chá de vinagre (de cidra)
1 c. chá de essência de baunilha

200 g de queijo fresco de barrar

75 g de açúcar baunilhado caseiro ou açúcar em pó
¼ c. chá de corante alimentar vermelho


Preparação Thermomix®:

Previamente preparar o buttermilk: adicionar uma colher de sopa de sumo de limão ao leite e deixar repousar meia hora.
Pré-aquecer o forno a 180º C e untar a forma com manteiga.
Colocar todos os ingredientes seco no copo da Bimby e programar 1 min/ vel 3-5-7-9. Retirar e reservar.
Colocar todos os ingredientes húmidos e misturar 30 seg/ vel 3.
Programar vel 3, sem colocar tempo, e ir deitando pelo bocal da tampa colheres de sopa dos ingredientes secos até terminar. Verificar se ficou bem misturado.
Verter a massa para a forma e levar ao forno cerca de 45 min ou até o palito sair limpo.
Deixar arrefecer antes de desenformar.

Para a cobertura, colocar no copo limpo o queijo fresco de barrar, o açúcar e o corante alimentar e bater 30 seg/ vel 3. Seguidamente, aquecer ligeiramente: 1 min/ 37º / vel 3. Colocar em saco de pasteleiro e decorar a gosto ou, simplesmente, verter a cobertura por cima do bolo.


Preparação tradicional:

Previamente preparar o buttermilk: adicionar uma colher de sopa de sumo de limão ao leite e deixar repousar meia hora.
Pré-aquecer o forno a 180º C e untar a forma com manteiga.
Colocar todos os ingredientes secos numa tigela grande e misturá-los com a ajuda da batedeira. Reservar.
Noutra tigela, colocar os ingredientes húmidos e bater com a batedeira até estarem bem misturados e a massa começar a formar bolhas.
Com a batedeira ligada, ir deitando colheres de sopa da mistura dos ingredientes secos até acabar.
Deitar o preparado na forma e levar ao forno cerca de 45 min ou até o palito sair limpo.
Deixar arrefecer antes de desenformar.

Para a cobertura, colocar numa tigela limpa o queijo fresco de barrar, o açúcar e o corante alimentar e envolver com a batedeira até ficar uma mistura homogénea. Aquecer ligeiramente no micro-ondas para ter uma consistência mais líquida. Colocar em saco de pasteleiro e decorar a gosto ou, simplesmente, verter a cobertura por cima do bolo.






Here’s how you can be a part of Bundt-a-Month:
  • Simple rule: Bake us a fancy bundt
  • Post it before September 30, 2013
  • Use the #BundtaMonth hashtag in your title. (For ex: title could read – #BundtaMonth: Fancy Bundt)
  • Add your entry to the Linky tool below
  • Link back to our announcement posts
Even more bundt fun! Follow Bundt-a-Month on Facebook where we feature all our gorgeous bundt cakes. Or head over to our Pinterest board for inspiration and choose from hundreds of Bundt cake recipes.


tempo de preparação: 1h30
dificuldade: ***
vegetariano: sim
para crianças: não
ingrediente principal: farinha


Siga-me aqui: follow us in feedly

Yum

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

almôndegas com pesto de manjericão e nozes

Adoro almôndegas e adoro pesto! Quando tropecei nesta receita de almôndegas de pesto, tinha que a experimentar. Ficou absolutamente delicioso, com todos os sabores na proporção certa.

parceria | Compotas & Chutneys

É com grande satisfação que anuncio a parceria entre este blog e as Compotas & Chutneys.


O equilibrio de tudo aquilo que a terra nos oferece com uns "pozinhos de perlim pim pim"... assim se consegue aquilo a que chamamos o produto final.

As Compotas & Chutneys são de Estremoz e comercializam:
- Compota de Cebola
- Chutney de Cogumelos
- Chutney de Cenoura com Noz
- Chutney Verde
- Chutney de Tomate Seco
- Alho Dourado
- Geleia de PiriPiri
- Açordas Rápidas de Poejos
- Açordas Rápidas de Coentros
- Doce de Figo e Limão
- Doce de Tomate


site: N/D
Facebook: https://www.facebook.com/compotas.chutneys


O meu agradecimento à Compotas & Chutneys pela disponibilidade e pelo produto enviado.
Estou desejosa de incorporar o produto em receitas para divulgar a qualidade dos mesmos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...