Publicação em destaque

granola caseira

A diferença entre a granola e o muesli é que a granola é tostada, cozinhada. Pode-se fazer granola a partir de muesli adicionando óleo (ou a...

segunda-feira, 9 de junho de 2014

queques de mirtilos

É um risco enorme comprar livros de culinária. Alguns são exactos na explicação das receitas, nos ingredientes e outros nem por isso. Aliás, bem pelo contrário. Tal é o caso do livro Confeitaria Hummingbird. Talvez o problema esteja na tradução mas o que é facto é que é a segunda receita que faço do livro e que corre mal. Se calhar devia ter comprado o livro no original - The Hummingbird Bakery Cookbook - até porque o preço nem é muito diferente e ainda tinha a vantagem de não pagar portes.
Diz que a receita é para 12 queques mas a mim rendeu-me cerca do dobro. No modo de preparação da receita não indica em parte alguma em que passo adicionar o açúcar e, sinceramente, as proporções parecem-me um pouco descabidas. Além de que buttermilk (leitelho) é traduzido por soro de leite! Este detalhe descobri após fazer algumas pesquisas sobre a receita no original. O problema deve residir nas receitas originais porque não fui a primeira a ter maus resultados com estes queques de mirtilos. Será que devia ter usadoo farinha tipo 65? Mais uma vez, se assim era, não era referido.
O resultado é agradável mas nada semelhante ao que se vê na foto que acompanha a receita, até a textura dos queques na foto que acompanha a receita é completamente diferente do resultado final. 




~ queques de mirtilos ~ 


Ingredientes:
375 ml de buttermilk/leitelho (=375 ml de leite + 2 c. sopa de sumo de limão ou vinagre)
1 ovo (grande)
½ c. chá de extracto de baunilha
360 g de farinha (usei tipo 55)
370 g de açúcar amarelo Sores
1 c. chá de flor de sal Loja do Sal
1 ½ c. chá de fermento
½ c. chá de bicarbonato de sódio
70 g de manteiga sem sal derretida (usei Vaqueiro líquida)
250 g de mirtilos (usei só 100 g para 12 queques)



Preparação Tradicional:
Começar por preparar o buttermilk: adicionar o sumo de limão ao leite e deixar repousar meia hora.
Pré-aquecer o forno a 180º C e colocar formas de papel num tabuleiro de queques ou untar o tabuleiro. Reservar.
Misturar o leitelho com o ovo e o extracto de baunilha até os ingredientes estarem bem ligados.
Juntar os restantes ingredientes, excepto os mirtilos, e bater até obter uma massa homogénea e consistente.
Envolver cuidadosamente os mirtilos.
Distribuir pelas formas e levar ao forno durante 20-30 minutos até dourarem e o palito sair seco.
Deixar arrefecer completamente.



Preparação Thermomix-Bimby:
Começar por preparar o buttermilk: adicionar o sumo de limão ao leite e deixar repousar meia hora.
Pré-aquecer o forno a 180º C e colocar formas de papel num tabuleiro de queques ou untar o tabuleiro. Reservar.
Misturar o leitelho com o ovo e o extracto de baunilha até os ingredientes estarem bem ligados: 15 seg/ vel 4.
Juntar os restantes ingredientes, excepto os mirtilos, e bater até obter uma massa homogénea e consistente: 1 min/ vel 3.
Envolver cuidadosamente os mirtilos com a espátula..
Distribuir pelas formas e levar ao forno durante 20-30 minutos até dourarem e o palito sair seco.
Deixar arrefecer completamente.




tempo de preparação: 45min
dificuldade: *
vegetariano: sim
para crianças: sim
ingrediente principal: leite



Siga-me aqui:

22 comentários:

  1. É por causa das traduções que não compro livros de cozinha - se são de autores estrangeiros compro-os na versão original, quando posso :) Já tive zangas com muffins também - acho que é um problema generalizado com as traduções, os tradutores não sabem o que são muffins. Ainda assim, estes ficaram bem :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu devia ter comprado o original, como geralmente faço, mas como o da popina é excelente e, por este livro ser da mesma editora, achei que ía correr bem.

      Eliminar
  2. Olá!
    Eu tenho esse livro e digo-lhe que esses são os melhores muffins de mirtilo que consigo fazer.
    Quanto às quantidades tem a ver com o tamanho dos mesmos - se reparar nos muffins dos cafés americanos eles são gigantes para as formas que nós normalmente utilizamos.
    normalmente quando as receitas de livros ingleses ou americanos pedem farinha sem fermento é da tipo 65.
    O grande problema que temos em Portugal é de facto o buttermilk - não é a mesma coisa utilizar buttermilk ou leite com limão/vinagre.
    continue a fazer e tente utilizar formas maiores que eles saem melhores - polvilhe no cimo com um bocadinho de açúcar a meio da cozedura e vai comer os melhores muffins de sempre.
    Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Teresa! Obrigadas pelas dicas.
      Fiquei aborrecida por não me ter corrido bem, pela segunda vez, uma receita do mesmo livro. Sei que não fui a única porque encontrei vários desastres por aí. Arrependo-me também de não ter comprado a versão original.
      Aborreço-me porque me parece ser uma falha no trabalho de tradutores e editores. Primeiro, buttermilk é traduzido por soro de leite e não tem qualquer informação acerca de onde/quando se coloca o açúcar. E isto é inultrapassável. Além disso, se a farinha usada habitualmente é 65, então devia o tradutor saber isso e mencionar na tradução. No livro da popina, da mesma editora (portuguesa), quando é farinha 65, tal é mencionado como farinha forte. Por tudo isto, não sei se a falha é do livro original ou traduzido. (Obviamente, que não me retiro qualquer culpa no processo.)
      Só agora reparei numa nota no principio do livro acerca do tamanho dos tabuleiros de queques mas não há nenhuma nota sobre farinhas.
      Acredito que usando todos os ingredientes tal e qual era suposto, devam ficar uns muffins maravilhosos. Eu é que fiquei aborrecida por não ter corrido como eu esperava.

      Acima de tudo, Teresa, agradeço-lhe a sua crítica construtiva.

      Eliminar
  3. Apesar de tudo ficaram lindos e com mirtilos eu ia adorar
    Boa semana
    bjs

    ResponderEliminar
  4. Podem não ter ficado iguais aos do livro mas o aspecto parece delicioso!
    bjns

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E ficaram bem saborosos. Eu é que, aborrecida, achei que não eram nada de outro mundo. (Mas a birra já me passou!)

      Eliminar
  5. Por vezes as traduções não são de facto as melhores ou, pelo menos, rigorosas. Às vezes, ao ver no 24kitchen alguns programas estrangeiros, até fico arrepiada com certas traduções. E estamos a falar de coisas simples, porque senão eu também não dava por isso! Traduções à parte, os teus queques ficaram bonitos e se estão bons isso é que interessa.

    Beijinhos, Paula

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Passo-me com as péssimas traduções de programas de TV! Algumas são tão idiotas que só me dá vontade de rir mas depois penso que aquelas pessoas são pagas para fazerem um péssimo trabalho e que o trabalho delas pode influenciar outros e já não acho assim tanta piada.
      Bom, há pior: ver erros ortográficos (AO aparte) nas notícias de rodapé dos noticiários. Aí acho que os canais televisivos deviam ser multados, severamente.

      Obrigada, Paula. Beijitos*

      Eliminar
  6. Não se pode confiar nas traduções, e não só para culinária. Livros mesmo prefiro ler na língua original, televisão a mesma coisa... às vezes fico meia aparvalhada com as traduções que fazem. Realmente traduzir buttermilk para soro de leite não cabe a ninguém... Já que as pessoas pagam podiam ter alguma consciência. Mas pronto... até que estão com bom aspeto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não ficaram nada maus e já foram bastante elogiados por várias pessoas. (Fiquei com 23 queques e, claro, já os servi num lanche cá em casa.)
      Acho uma falta de respeito isto das traduções! Acho que vai sair um e-mail para a editora portuguesa...

      Eliminar
  7. Ana,

    Ainda assim, com todos esses percalços, acho que têm muito bom aspeto! Beijinhos

    http://aalfacinha.blogspot.pt/


    ResponderEliminar
  8. Apesar dos percalços ficaram lindos e de certeza uma delícia! Eu não me importava de comer um ou dois, aos pares devem ser melhores ;)
    Por acaso também tenho esse livro em português, mas nunca tinha experimentado esta receita, já a do brownie cheesecake com creme de framboesa é das melhores que já fiz, e saiu na perfeição :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou experimentar essa! Assim tiramos as teimas de vez. Se me sair mal, a culpa é inteiramente minha!
      Entretanto, acho que vou encomendar o original... juntamente com o da popina, não vá haver ali também algum erro crasso!

      Beijitos*

      Eliminar
  9. Olá Telita,
    Olha, li o teu post e como tenho o livro e inclusive até já fiz estes muffins, fui buscar o livro para comparar com o que dizias e olha, no original, começa logo por dizer para juntar a farinha, o açúcar, o sal, o fermento em pó e o bicarbonato de sódio numa tigela e misturar tudo muito bem. Portanto, a parte do açúcar é falha da tradução, porque no original está cá!
    Não percebo essa tradução do soro de leite, até porque mesmo em Portugal se vende como buttermilk...
    e garanto-te já os fiz e saíram exactamente como no foto e já fiz quase todos os cupcakes deste livro, aliás, podes ver lá no Salsa Verde e saíram sempre magníficos e lindos.
    O problema é mesmo das traduções e olha, a minha irmã ainda aqui há uns tempos se queixou disso, pois um livro do Gordon que comprou, uma das receitas pedia por tomates, mas não especificava e ela pela foto achava que deviam ser tomates secos e então ligou-me para eu ver na receita original e sim, são tomates secos, ora, tomates secos ou frescos, faz muita diferença numa receita e se os tradutores não sabem traduzir livros, o melhor é demitirem-se!
    Bom, os teu muffins não têm nada a ver com o original de facto, mas acredita que não é problema da receita e sim da tradução.
    Beijinhos,
    Lia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Lia,
      Eu considero falha da tradução, da edição e revisão do texto. Que eu saiba, é suposto o texto ser lido antes de ser impresso. Em teoria, isto é o que acontece. Na prática, aparentemente, nem por isso.

      "Coloque o soro de leite, o ovo e a essência de baunilha num robô de cozinha e misture até que os ingredientes fiquem bem ligados.
      Junte lentamente à mistura de farinha e bata até que todos os ingredientes estejam incorporados."

      Sendo este o primeiro parágrafo da receita, percebe-se logo que falta ali alguma coisa. Mistura de farinha com o quê? Portanto, segundo o original, primeiro juntam-se os ingredientes secos e noutra tigela os ingredientes húmidos e, por fim, a manteiga. Assim, faz sentido!

      E, já agora, Lia, que farinhas usaste? É habitual usar-se a 65? Em algumas receitas da popina é referida farinha forte mas nestes queques só diz farinha sem fermento - o que entendo como farinha 55.

      Da próxima vez que me assaltar uma dúvida, envio-te um e-mail (já que não tenho o teu número para te ligar :P )
      Entretanto, nunca mais comprarei livros traduzidos, até porque faço bons negócios na Book Depository. Hoje em dia, comprar os livros originais na Book Depository fica ao mesmo preço que numa livraria, alguns mais baratos. A grande vantagem é nem se pagarem portes. (Daí ter deixado o link do livro original na Book no post!)

      OBRIGADA, querida Lia! <3

      Eliminar
    2. Olá Ana,
      Esse excerto que referes não tem, de facto, nada de nada a ver com o original e nunca seria traduzido dessa maneira e olha que eu não sou tradutora profissional, mas nos meus blogues tenho as receitas todas traduzidas por minha autoria e acho que nunca ninguém se queixou...
      Pois podes enviar mail à vontade e perguntar tudo o que quiseres. Acho triste essas coisas aconteçam porque depois tiram a credibilidade aos livros e autores e não é justo, o problema é a falta de profissionalismo dos tradutores e revisores. Sim, se não tens problemas com o inglês, compra os livros originais que aí não tens surpresas desagradáveis.
      Bom, mas adiante, a farinha é a 55.
      A Popina pede farinhas fortes ou farinha de pão, que penso em Portugal ser a 65, porque a maioria das bases da Popina são bases chamadas de pão ou pizza e requerem essa farinha. Sempre que as receitas pedem farinha sem fermento, é a 55. Se for da forte é a 65 e depois, se pedido, a com fermento.
      Um beijinho grande e dá outra oportunidade aos muffins, mas com a receita original que, se quiseres, envio-te a foto por mail.
      Lia.

      Eliminar
  10. Para algo que correu mal, saiu muito bem :) beijinhos
    http://nacozinhadasara.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Grata pela visita! ❤
Todos os comentários são importantes e sempre bastante apreciados.
Não se esqueça de seguir nas redes sociáveis: Facebook * instagram * blogger * bloglovin'.
Obrigada pela sua visita. Volte sempre! 💋

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...